segunda-feira, 16 de junho de 2014

QUANDO O CORAÇÃO QUER...

-Saia moça, não se prenda por mim. Aproveite a vida. Disse André sorrindo.
Ela queria queria ir sim, mas queria ir com ele. Mas o cara era um idiota e não compreendia isso ou, compreendia e não queria dar-lhe esperança.
Soraya era apaixonada por André desde a adolescência e ficava amargando este sentimento como se fosse uma maldição, assombrando seu coração. Eram amigos e isso era mais do que podia esperar. As vezes pensava ela,"que mania que mulher tem de achar que amor significa ficar junto em tempo integral."
-Quem disse que me prendo? Respondia ela rindo. -O show acontece de noite somente, e além do mais voce acabou de chegar, e eu estava com saudades. Disse a moça abraçando-o carinhosamente.
-Quase quatro anos que não nos vemos, desde a última vez. Que voce fez neste tempo de ausencia? Conte-me tudo.
Conheciam-se desde os dez anos de idade e suas vidas se cruzavam com frequência.
Sabe aquelas coisas de destinos? Eu sinceramente eu não acredito muito nisso. Risos...
O fato é que André e Soraya viviam nesta de ir e vir. Ele foi para Paris fazer um curso e ela foi para Amazônia filmar um curta metragem.
Quando ele voltou, ela andava pela Bósnia fazendo não lembro o que. E era assim a vida seguia seu curso para estes dois aventureiros do mundo. O curioso é que sempre um sabia do outro, como se ambos fizessem questão, de não perderem-se de vez.
André era namorador e não gostava de compromisso.
-Isso dá muito trabalho e requer dedicação e eu gosto de ser bicho solto.
Ao que Soraya respondia:
-Eu bem que gostava de ter um compromisso, mas é complicado mesmo. Vou vendo minhas amigas casando cheias de expectativas,  e a seguir vão descasando desiludidas.
O fogo apaga com a convivência e com os problemas do dia a dia.
André sabia que ela tinha tido um relacionamento de anos com Horácio. "O sujeito era tão rico que até dava raiva."
-Mas voce quase casou com o Horácio, eu lembro que ficaram anos juntos.
-É verdade, gostava muito dele e teríamos casado até.
André fica pensativo. Depois pergunta:
-Por que não casaram?
-Sei lá, ele queria mais empenho de minha parte, e eu queria menos cobrança, acho que não era para ser, pronto!
Mas voce também quase que casou-se com Cecília, eu lembro bem.
Risos...
-Cecília...Ai meu coração! Aquela me balançou todinho...
Mais risos...
-E o que houve. Ela enjoou de suas manias?
-Não! Ela queria ter seis filhos, e que eu fosse morar com ela no Amapá para cuidar de suas fazendas. Eu me sentia um verdadeiro reprodutor que estava prestes a ser encarcerado vivo naquele fim de mundo e pelo resto de minha vida.
-Meu Deus! Escapamos de boa então.
E ambos riram mais um pouco...
-Quer saber, se voce não tem companhia para sair hoje, eu me convido, posso?
Ela se finge refletir um pouco e retruca:
-Vou consultar a minha agenda e já te retorno em instantes.
André adora esta mulher, e não tem menor ideia de como mudar esta situação, porque toda vez que ele estava livre, ela não estava. Quem sabe agora seja a sua chance de arrebatar seu coração.
Guerreira Xue