sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

PROCURA-SE UM AMOR

-Quer que o anúncio tenha mesmo este título?
-Quero sim, faz favor.
Evandro trabalhava naquela revista de classificados há alguns anos, e publicava muita coisa doida, mas este anúncio era no mínimo, estranho.
"Quero um homem que me queira. E não precisa ser rico. ou com muito dinheiro.
Não importa que seja velho, viúvo, divorciado ou solteiro.
Quero um homem que goste de dançar, que se sinta bem e que goste de conversar.
Quero um homem que me queira, e que me faça também o querer,
Alguém que não seja bonito, mas que tenha uma boa aparência,
Que tenha algum senso de humor, e principalmente, muita paciência.
Se alguém com estes requisitos quiser me contactar, espero amanha as 16:00 no coreto em frente a igreja .
Só para o caso de alguém me querer, sou a moça que usa muletas. Com uma flor nos cabelos."
-Quer que ponha seu telefone?
-Só meu nome, faz favor. Aparecida.
Evandro murmurou o preço e combinaram o depósito, o anúncio sairia em dois dias.
Passou-se alguns dias e estava Evandro distraído, quando levanta os olhos, e se depara com Aparecida.
-Pois não! Muito séria a moça responde:
-Quero fazer um anúncio, faz favor.
E Aparecida repetiu o mesmo anúncio:
"Quero um homem que me queira... Sou a moça que usa muletas, com uma flor no cabelo."
Evandro fez o anúncio, cobrou, e ela se foi. O jornal novamente foi publicado ...
Evandro morava só, e folheava a nova edição enquanto aquecia seu jantar, e deparando com o anuncio de Aparecida, perguntava-se: "Será que alguém vai encontra-la"?
Que besteira isso!!Quem liga?
Sim...Ninguém ligava, e Aparecida esperava horas no coreto da praça.
Um mês depois...Novamente Aparecida estava lá.
Evandro ficou feliz de não estar na mesa do atendimento, e quando voltou seu colega Valdir atendia a moça.
Quando o anuncio saiu, ele reparou uma mudança
"Quero um homem que me queira... Era tudo quase igual, ( até esta parte) Sou a moça com a flor no cabelo.
Ela não usava mais muletas, "será"?
Aquele coreto da praça era perto da repartição. levado por um impulso Evandro saiu mais cedo neste dia e foi até a tal praça.
Não foi difícil reconhece-la... Ela tinha uma flor no cabelo, como no anuncio, e um livro nas mãos.
Sem saber como e por que, Evandro se aproxima, pede licença e senta-se a seu lado.
A moça olha para ele sorrindo e pergunta calmamente:
-O senhor veio pelo anúncio?
-Não! Quero dizer, sim.
E respirando fundo ele continua...
- Foi sim, de que outro jeito eu viria? Fiquei curioso, pois voce vem fazendo estes anúncios querendo um namorado. Eu queria saber. Nunca aparece ninguém? Voce usava muletas antes, e agora não mais?
-Ninguém apareceu até hoje. Responde ela calmamente. Eu usei muletas porque sofri um acidente tem três anos, e agora meu tempo delas terminou. Queria festejar as minhas pernas boas...Com alguém que me visse e gostasse de mim, mesmo de muletas.
-Deixa eu adivinhar, voce queria ir dançar.
-Sim...
Ficam calados por alguns instantes...
-Podemos fazer o seguinte. Diz Evandro.
-Vamos sair então, que voce acha? Faz tempo que não danço. Alias, nem lembro de um dia ter dançado.
E os dois se riram...
-Eu aceito, pois venho sonhando com uma dança faz tempo.
Evandro achou aquele sorriso encantador.
-Ai ai...Estamos pulando algumas etapas aqui. Deixe que me apresente, faz favor.
E estende a mão dizendo.
-Evandro Santos, muito prazer.
- O meu voce ja sabe, Aparecida Nogueira, muito prazer.
-Agora que já nos apresentamos. diga a hora e local para eu poder pega-la para dançarmos. Ficarei honrado em acompanha-la.
E Aparecida e Evandro foram dançar e jantar...Naquela noite e nas muitas que se seguiram depois.
Guerreira Xue/Hilda Milk
                     

                                                              Imagem Net

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

A VIDA...

É Noite mal dormida
É paixão recolhida
É passear com a melhor amiga
É repartir a comida

A vida pode ser...
Assistir o sol nascer
Arriscar e perder
Ver o dia chover
E as estrelas aparecer

Viver não é só amar
É se deixar ser amado
Se permitir, ser encontrado
E se cair...
Esperar ser amparado



A vida
É perder certezas
Achar algumas alegrias
Chorar umas tristezas
E ser grata pelos seus dias
Guerreira Xue
 Imagem da autora

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

BALOIÇANDO…

BALOIÇANDO… 

À Janela

És o meu sol
És a minha lua
És o som da minha rua
És a menina selvagem
Que salta e pula
Sentes teu corpo estremecer
És o desejo de sempre nua
És o tempo distante
És quem diz querer
És o desejo de te ver
Que embaraça e sente ferver
Como lavra que corre por correr
És o presente no teu universo
És o sentir de um verso
És o desejo de um beijo
És o derradeiro começo
Que te atrapalha e confunde
Mas te entusiasma e conforta
És um forte abraço
És um apelo ao vento
És uma rosa no regaço
És uma ideia de alento
Que te move te faz inspirar
Como se fosse o teu próprio respirar
No fundo és tu intimidante amar
M.R. "Pensamentos a Avulso” 2014