sábado, 28 de setembro de 2013

TEMPORAL

A floresta é escura
O caminho longo
E a vida mesmo breve
 é dura
O amor é intenso
O barco pequeno
Mas o ódio tem força
E o mar, é imenso
Áh! Vida incerta.
Esse medo me assusta
A montanha tão grande
E esta saudade
me aperta
A coragem levanta
A morte me espreita
No mundo tão deserto
A noite vai alta
E o farol tão perto.
Em meu coração vazio
vertem lágrimas secas
No trajeto, as vezes só colhe
aquele que não planta
Então a alegria oscila
A chuva cai fria
E o sol, logo desponta
E a solidão
Somente a solidão
... É constante.
Guerreira Xue

                 Imagem  Net

MOMENTOS

Não chore, por favor
Eu não vou embora
Fico até você dormir
Não quero perder isso
Não antes do tempo
Lamento tanto, tanto...
Que seja você a ir primeiro
Mas estou aqui agora
Como pode o filho morrer
Bem primeiro que seus pais?
Bem poderíamos ter mais tempo
Quero-te bem, minha pequena
Aiiii filhinha querida...
Hoje o sol não apareceu,
Faz frio lá fora.
E as flores todas já caíram
Que pena!
Tem uma chuva fina molhando a rua
Ainda bem que isso não te dói
Pois em mim,
Está doendo... Muito
Se acaso não dissemos
Ou fizemos tudo que planejamos
Neste momento, isso não importa nada
Só quero que sinta a minha mão
O meu calor...
O meu amor.
Guerreira Xue

                                  Imagem Net

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

MEU FILHO, EU...NÓS!

Perdi o sono
Fui até o quarto de meu filho
Me sentei no chão pertinho dele
Um facho de luz o iluminava
E me recordei
De minhas preocupações quando ele era pequeno
Temia que ele se atrasasse na escola
Aquela lembrança me fez sorrir amargamente
Ele não se atrasou na escola,
Ele simplesmente não conseguiu ir.
Olhava com muito amor
Aquele homenzarrão...
Meu pequeno grande homem
Quanta estrada tínhamos feitos juntos
E não falo so de quilômetros
Falo de estradas espirituais
Mas nem sempre isto era o suficiente para me consolar.
Seu modo inocente de dormir...
De um homem criança
Que acorda de madrugada
E vem para meu quarto
Dizendo que esta com medo.
Mando ele se deitar comigo,
O abraço forte e digo que não precisa ter medo,
Porque mamãe esta ali com ele e o protegerei.
Mal sabe ele que eu tenho muito mais medo do que ele,
Eu é que devia ir pra sua cama.
Eu tenho medo do futuro,
Medo de não conseguir leva-lo
Até onde ele esteja seguro antes d'eu partir.
Medo de deixar o vento me tocar e voar com ele,
Preciso manter os pés no chão,
Mas a mamãe deste rapaz autista, foi feita de sonhos
Sonhos e lutas para atingi-los.
Hoje não tomo mais banho de chuva
Não corro sorrindo
Para encontrar alguem que amo para fazer amor;
Hoje... corro contra o relógio,
Para dar banho no meu rapaz, fazer a sua barba...
Hoje, corro para sentir seu olhar doce.
Me entristeço profundamente quando ele fica nervoso
Depois tento compreender o porque
E quase nunca consigo.
Depois tento entrar em seu mundo,
Depois tento sair do seu mundo,
Depois tento entrar no meu mundo,
Depois tento sair do meu mundo...
O dia ja vai amanhecer.
Minha vida esta se desfazendo no amanhã,
Preciso viver o hoje
Com o vento me tocando
Me molhando na chuva grossa
De uma tempestade violenta
Que o céu anuncia!
Rosemary mantovani

                     Imagem da Autora

A PROCURA DO MISTER BOM PAR


  É difícil viver em expectativas de outros o tempo todo, e a  vida que não espera quando nós mesmo estamos mal resolvidos. E como saber, quando estamos bem resolvidos e que a atitude que tomamos, foi a mais pensada, e acertada? Embora estejamos sempre, a procura de qualquer coisa que traga algum significado.
Amor, amor e amor, o que é isso mesmo, quando as responsabilidades sufocam, e o financeiro fala mais alto e tudo acontece exatamente num momento de crise existencial?
Um dia o amor redimi-nos de nossas imperfeições, que beleza! Já no outro dia o amor mata e morre, as vezes ao descaso ou, ao excesso, que tristeza!
Não procure o que não tem, pois chega sempre o dia que as diferenças incomodam... E se procurar o que já tem, ainda corres o risco do tédio permanente, seria talvez como se olhar para o espelho, enjoa-se logo da mesmice.
Francisca já teve muitos namorados, e já foi apaixonada, e foi amada e amou sozinha e acompanhada. E agora ela não queria nada...
Justamente na hora, que a vida deu-lhe uma virada. Aquele sujeito fazia seu coração balançar com força. Era difícil para Francisca, controlar aquela vontade de se "jogar."
Sem saber como agir, ela optou pela saida mais estratégica, resolveu fugir.
-Pare com isso. Não quero te namorar e não vou me apaixonar.
-Tudo bem. respondia ele. Mas "ele" não desistia de tentar.
Francisca foi viajar e esperava distrair, não pensar. Neste mundo, há um mundo de coisas e ela ia se divertir.
E a sua mãe dizia: - Minha filha voce precisa se casar. Construir um lar. Isso faz parte de viver. Ter seus filhos e ve-los crescer.
E francisca pensava. "Como isso pode ser, se ninguém..."
-Deixe disso mamãe, acha que todos são iguais a voce? Eu não saberia enfrentar a vida com um homem que só sabe fazer filhos e depois, ir e vir todos os dias do trabalho como se isso fosse um "fardo"a pesar-lhe as costas. Isso é triste e castrante. O compromisso faz as algumas pessoas ressentidas.
A mãe ficava quieta, pois sabia bem do que a filha falava. Seu marido era um bom homem, ótimo pai, mas tinha uma postura deprimente. Quantas vezes ela quis "gritar", dizer-lhe que não precisava se sentir tão infeliz por trabalhar, porque ela trabalhava também, e porque isso de trabalhar, era coisa que todo mundo fazia.
Será que todos os homens eram assim? Ela se perguntava. No fundo de sua consciência, ela achava que o seu marido a culpava por ter-lhe dado filhos.
E Francisca continuava:
-Me diga mamãe, quando foi a ultima vez que voce e papai, só os dois, saíram?  Quando, conversam sobre "banalidades, estas pequenas coisas que fazem as pessoas cúmplices rirem?
Ao perceber a mãe entristecendo-se Francisca se retrata logo.
-Me desculpe por favor. Não quero magoa-la, não mais do que a vida já o fez. Voce é uma mãe maravilhosa e eu te amo muito. Disse a filha.
-Sei o quanto voces dois, voce e papai, abriram mão para nos dar afeto, conforto e segurança.  Agora que crescemos, quero que voces sejam felizes. Façam escolhas, por si próprios e não mais pelo bem dos filhos.
A mãe sabe que isso é verdade, mas também é verdade que foi escolhas que fizeram por amor...Foi maravilhoso poder fazer pelos filhos aquilo que ela própria, não teve. Casara-se apaixonada pelo marido, e  não demorou muito para cair "das nuvens". Tantas coisas aconteceram...
Francisca por sua parte, ama os pais, e percebe que a mãe está em desvantagem agora, pois o pai sempre trabalhou fora e ela sempre trabalhou fora, e em casa cuidando dos filhos e da casa. Ela sabia que o pai tinha namoradas na rua, e desconfiava que a mãe também sabia. Claro que sabia! Não era possível uma mulher não saber, que seu homem se diverte com alguém, uma vez que este não se diverte com ela.
Amor, abnegação, costume, por causa dos filhos, do dinheiro, vai saber? Com o passar dos tempos as razões vão mudando...
Como Francisca diria para a mãe que, o que ela deveria fazer era ir viver a própria vida, pois papai parecia se sentir melhor na rua, do que em casa. Há muito tempo que ela andava sozinha, fazendo dos filhos a sua arte de bem viver.
-Vamos viajar juntas, que acha? Você sempre quis conhecer o fim do mundo.
A mãe sorri diante da proposta.
-Seria maravilhoso filha!  Me desculpe também minha querida. É que preocupo-me de ve-la sozinha, e te vejo sempre trabalhando e voce é tão alegre e divertida. Quero que sejas feliz, e nem quero que tenhas a vida que eu tive, pois cada um é cada um.
-Não estou sozinha, ou melhor estou, sozinha por querer estar. Gosto assim, e te prometo que vou ser mãe também, um dia. E será com alguém que queria dividir isso de verdade, sem peso ou resignação. E se por acaso, não conseguir o "mister bom par", parto para uma produção independente.
Francisca é uma mulher moderna e determinada.Sabe o que quer, só não sabe com quem quer.
O mundo mudou e as mulheres tem agora, mais oportunidades de escolha. E por causa disso, elas mudam também.
Na opinião pessoal dela , as diferenças são incríveis, e com o tempo tendem a aproximarrem-se
Mãe e filha se compreendiam e aprendiam uma com a outra, duas gerações seguindo seu rumo e escrevendo sua história.

Francisca por vezes pensava naquele rapaz... Não seria agora, pois precisava de mais tempo para pensar, deixar o calor da hora esfriar. Nada melhor que o Fim do mundo para isso.
E ambas visitaram a Terra do fogo, cada uma com seus pensamentos, e cada uma vivendo seus momentos, juntas.
Guerreira Xue

 Imagem Net  "Ushuaia"

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

O TEMPO QUE O TEMPO TEM

O tempo que o tempo tem

Coisa engraçada é isso do tempo
Só ele é dono de si
O tempo não imita ninguém
está por toda parte
Anda sempre no próprio compasso
Empurra com força, a tempestade
E sopra a brisa suavemente,
Sem medida ou espaço
o tempo vai cá, vai lá, e logo ali.

Ele faz a flor desabrochar em tempo
Deixa a dor passar
Permite a hora do amor chegar
Traz a saudade para se instalar

O tempo faz sujeito chorar também
A criança sem razão alguma, sorrir
Um homem pode envelhecer
E enquanto um nasce...
O tempo faz o outro morrer

Por vezes pergunto eu.
O tempo sabe o poder que tem?
Pois o tempo,
não tendo nada para fazer
só se poe a correr.
E quando dizemos
que não o temos tempo
Queríamos o tempo para que?

Não mudamos o passado.
E existe o futuro...
Aquele que nunca chega
E o que temos então?
Quem sabe ... Um presente talvez!.
Ola tempo...
E adeus tempo.



Guerreira Xue/ Imagem de Rosemary Mantovani
https://www.facebook.com/GuerreiraXue




quarta-feira, 25 de setembro de 2013

LOUCOS SONHOS

Quando a luz apaga
E nossas mãos se tocam
Um fogo vai ascendendo
E almas vestidas de pele
Misturam-se em sensações de cheiros
Gosto e sabor
E como uma dança milenar
Num instante
A minha boca e a tua
Se encontram
Acontece uma explosão de luzes e cores
O que vem depois
É um delírio desvairado
Uma fome de mim por ti
De ti por mim
Que só termina quando esgotados
Dormimos entrelaçados
Guerreira Xue

            Obra Bruno Steinbach “Nômades Amantes do Tempo II”

IMPERMANENCIA

IMPERMANENCIA
...E ainda que tudo 
Seja constantemente impermanente
ainda assim. 
O pescador consegue o seu peixe no mar 
O pintor captura e congela a onda na tela
Os predadores vão a caça todos os dias
E as fêmeas gestam e criam seus rebentos 
A ilusão aparente  não está na impermanência, 
e sim na insistência em existirmos 
Apesar dela.
Guerreira Xue


                                                              Imagem Fernanda Viana

terça-feira, 24 de setembro de 2013

ENTRELAÇO

A vida dá suas voltas em compassos
É como se fosse um tango,
Ora girando veloz feito um pião
Ora lento feito abraços do coração
E conforme segue o ritmo todos vamos dançando
A mágica acontece na hora do nascimento
Aquele enorme salão é o espaço do tempo
Ali  ninguém se conhece
E numa espiral de movimentos ocorre a transformação
O dia vira noite, o novo, vira velho
O gelo vira água e o afago, vira açoite
E os sonhos...
Áh!
Estes são bolinhas de sabão
O que tinha importância, fica agora secundário
E por uma razão qualquer,
Nossos melhores sentimentos, escondemos no fundo do armário
Guerreira Xue

                              Imagem Net

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

POEMA DUM FUNCIONÁRIO CANSADO

POEMA DUM FUNCIONÁRIO CANSADO
A noite trocou-me os sonhos e as mãos
dispersou-me os amigos
tenho o coração confundido e a rua é estreita
estreita em cada passo
as casas engolem-nos
sumimo-nos
estou num quarto só num quarto só
com os sonhos trocados
com toda a vida às avessas a arder num quarto só
Sou um funcionário apagado
um funcionário triste
a minha alma não acompanha a minha mão
Débito e Crédito Débito e Crédito
a minha alma não dança com os números
tento escondê-la envergonhado
o chefe apanhou-me com o olho lírico na gaiola do quintal em frente
e debitou-me na minha conta de empregado
Sou um funcionário cansado dum dia exemplar
Por que não me sinto orgulhoso de ter cumprido o meu dever?
Por que me sinto irremediavelmente perdido no meu cansaço
Soletro velhas palavras generosas
Flor rapariga amigo menino
irmão beijo namorada
mãe estrela música
São as palavras cruzadas do meu sonho
palavras soterradas na prisão da minha vida
isto todas as noites do mundo numa só noite comprida
num quarto só




Por vezes cada objecto se ilumina
do que no passar é pausa íntima
entre sons minuciosos que inclinam
a atenção para uma cavidade mínima
E estar assim tão breve e tão profundo
como no silêncio de uma planta
é estar no fundo do tempo ou no seu ápice
ou na alvura de um sono que nos dá
a cintilante substância do sítio
O mundo inteiro assim cabe num limbo
e é como um eco límpido e uma folha de sombra
que no vagar ondeia entre minúsculas luzes
E é astro imediato de um lúcido sono
fluvial e um núbil eclipse
em que estar só é estar no íntimo do mundo

Antonio Ramos Rosa (1924-2013)

                         Imagem do autor na net

O ENTREGADOR II

O ENTREGADOR II

Estou de volta com o nosso amigo Jurandir, este entregador tão comum e com tantas aventuras, que se torna irresistível não documenta-las para apreciação do leitor.
A estas alturas o filho "dele" nasceu e o moço andava as voltas com transporte escolar, muito mais tranquilo claro, o salário era baixo, horário fixo, mas sempre se pode fazer algum frete, serviço free lancer, de fim de semana.
Um dia Jurandir foi fazer umas entregas lá para os fundão do Grajaú, em substituição de um amigo que estava doente.
Não podia se negar ao colega, uma vez que este sempre o socorria em momentos de "aperto" trabalhista e também quando Jurandir caiu do telhado certa vez (outra estória para uma outra ocasião), este salvou-lhe a vida.
E lá se foi o Jurandir a caminho do Grajaú ...Para quem não conhece o Grajaú, este é um bairro da zona sul de São Paulo, é tão grande que mais parece outra cidade dentro da cidade. Umas das muitas evidencias de uma grande metrópole é o contraste social, a desigualdade é gritante que chega a nos saltar aos olhos.
Impossível negar os problemas sociais, os desempregos, falta de oportunidades dignas que culminam com um arrastão de jovens para os tráficos, enfim... Voltemos a aventura do Jurandir então...
"Eu tinha acabado de subir o morro e fui fazer a primeira entrega, a mais  distante, porque depois era só descida. Ao fechar o caminhão percebi dois caras me cuidando. Fiquei alerta... E não deu outra, ao virar uma esquina eles vieram numa moto, acelerei e toquei com tudo, eles de moto conhecem o morro melhor que ninguém. Quando dou por conta, ele batem no meu vidro com o cano do trabuco. Eu baixo o vidro com aquela minha cara de desentendido:
-Pois não! Estão perdidos? Um deles me olha...
-Voce é engraçadinho é? Diz o que voce leva ai.
-Panelas...hoje é dia de panelas meu, pode ver!
Eles esticaram os olhos e viram aquela pilha de caixa de panelas. O parceiro dele, carona da moto, não se conteve:
-Pô meu, tu fez a gente vir "enquadrar" o cara para levar panelas!
-Que merda! Vai te embora desgraçado, e leva estas tuas panelas.
Eu aproveitei e acelerei com tudo, e esta foi minha burrada do dia. Eles tinham me liberado, mas pensando que logo eles iam se "tocar", quis sair logo correndo. Claro que eles perceberam que eu tinha mentido e de novo, me perseguiram.
Acelerei o que deu, e a certa altura eu já estava era perdido, enfim consegui enfiar o caminhão num beco isolado, abri as duas portas, sai correndo  e me escondi, liguei para a polícia dizendo que tinha sido roubado e me identificando como transportadora. Não deu dez minutos, e chegaram com várias viaturas. Quando me aproximei pensaram ser eu o ladrão. Depois das explicações dadas, fui escoltado até a saída da favela. Claro que eu não tinha só panelas, mas sempre ponho os produtos mais baratos a vista. Ainda bem que no dia seguinte o meu amigo estava de volta... E se não consegui fazer suas entregas, pelo menos não fui roubado aquele dia. Risos...
 Todo entregador que se preze, tem um certo treinamento de como se comportar em caso de assalto, porém tem ações que escapam na hora do confronto mesmo, e segundo o Jurandir ."É entregar para Deus e torcer para dar certo no final das contas.
Outro detalhe importante, se quiser que a policia chegue logo, tem que dizer que é de transportadora, pois existe um seguro recompensa para quando conseguem recuperar a carga."
Minha admiração e respeito para estes "Jurandir" do mundo, que se atiram para a vida todos os dias, em busca do digno sustento dos seus.
Guerreira Xue

                   Imagem Net