sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

MANDELA

MANDELA
Ontem o dia ficou triste, pois Mandela se foi para as estrelas. Lembrei-me que era menina ainda e ouvia falar de um negro, num país de negros lutando pelo direito comum, pode até ser que lutasse pelo próprio direito somente, de "ser". 
E tínhamos estampado nas revistas aquelas fotos de pessoas que viviam distantes, e que eram tratadas com violência e desrespeito, era a guerra da loucura.As imagens chocantes vividas por gente de cor diferente. O senhor Mandela tornou-se simbolo num mundo onde a esperança era branca. Um negro humilde que mostrou alguma coragem de continuar vivo apesar de viver na prisão. Muitos dirão muitas coisas sobre Mandela... E eu queria dizer aqui que, a esperança de Mandela tem nuanças de arco iris. 
Viva sempre Mandela!
Guerreira Xue

http://www.youtube.com/watch?v=qKMdFlBuKz0

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

AS VEZES...

A gente chora por qualquer razão
As vezes dói uma partida
Daquela de cortar o coração
É pela pessoa mais querida
Que foi embora, sem dar explicação.

As vezes...
Rimos da nossa sorte
Rimos da mais pura felicidade
Rimos da mentira e da verdade
Rimos como criança inocente
Que vai ali, distante da maldade

As vezes ...
Quando velhos e sozinhos
Rimos da vida e rimos da morte
Nos rimos e nos choramos
Ao lembrar daqueles caminhos
Sempre com voce na minha mente

As vezes...
Não é sempre, só as vezes
As vezes ...
Guerreira Xue/Hilda Milk
         
                                  Imagem Net

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

OLVIDAMOS MIRARNOS A LOS OJOS

De tanto hablar y de hablarnos
olvidamos mirarnos a los ojos.
Las palabras se pierden entre las palabras
como el viento en el viento, como el agua en el agua.

De tanto hablar y de hablarnos
no supimos del silencio,
para beberlo gota a gota
en cada pausa, en cada pausa.

De tanto hablar y de hablarnos
nadie escuchó el ruido de  las puertas
que se cerraban
que se cerraban.

De tanto hablar y de hablarnos
dejamos los cuerpos postergados, desmayados
como promesa para el mes de marzo,
como otra forma de decir no más, no más.
Jorge J. Flores Durán
http://jorgefloresduran.blogspot.com.br/

ESQUECEMOS DE OLHAR PARA OS OLHOS

De tanto para falar e de falarmos
esquecemos de olhar para os olhos.
As palavras se perdem entre as palavras
como o vento no vento, como a água na água.

De tanto  falar e falarmos
não sabemos do silêncio
para beber, gota a gota
em cada pausa, cada pausa.

De tanto falar e falarmos
nem escuto o ruído das portas
que se fecham
que se fecham

De tanto falar e falarmos
deixamos os corpos abandonados, desfalecidos
como uma promessa para o mês de março,
como outra maneira de dizer não mais, não mais.
                                                            
               Imagem Net