sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

THE CURIOUS BOY / The Ogre and the Weaver - book excerpt


Gustavo is a ten-year-old boy, a bit shy, very quiet at school, polite and well-liked by colleagues. He is the youngest of three brothers, a boy of some creativity and inclination to arts. He loves to travel on holidays and usually visits his cousins and grandpa in the countryside in the Rio Grande do Sul state in Brazil, but when he is at home he likes to play videogames and to listen to a good story. His mother used to write and whenever she can she tells him something.
One day Guga (that's how everyone calls him) asked: “Mom, all the stories have already been told?”
“Of course not, son, why do you ask? I've told you stories that are not written anywhere. And there are new books with new stories being published every day.”
“No, I was talking about old stories, like Snow White, Cinderella, Cinderella, Puss in Boots.”
“You see, these are classic stories and the most told in the world.
I believe that some of these old stories got lost because they only survive if they are passed on. Do you want an example? The Indian legends were told by old Indian women by the fire, they weren't written down and for obvious reasons they were fading with time. Of course some researchers are rescuing some of them, but most got lost, unfortunately.”
“What is obvious reasons, Mom?”
“I'll explain what is ‘obvious reasons,’ the Indians had gone a long time ago, there are only a small number of them now, a really small number and with them, their stories and legends had gone too.
Look son, here is the deal, I will tell you The Ogre and the Weaver story, which is a story in the old style and it isn't written down anywhere, I'm sure.”
“No?”
“Of course not, I invented this one when your brothers were very small. True, I have been perfecting it over the years and now it's more well-rounded. I'll tell you tonight, do you want to listen to it?”
“I do, I do, I dooooo!”
“You have just given me a good idea, son!” Muah.

Guerreira Xue
























https://www.amazon.co.uk/dp/B01J6J23AU

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

ESQUECIDO

Onde estou agora?
Que meus sonhos vão perdidos
As minhas esperanças jazem mortas
Os amores esquecidos
Não há mais caminhos
Só andrajos e palavras vazias

As lágrimas faz tempo, secaram
Os dedos enrrugados, entortaram
As portas ao longe, se fecharam
Só meus olhos é que não

Deus há muito tempo morreu
Eu também um dia já morri
O mundo lá fora, me esqueceu
E não sei porque razão
Ainda permaneço eu aqui

Quero um perdão
Daqui também vou me perdoar
Preciso sem demora partir
Só não consigo mais
E os meus pés, de tão cansados 
Já nem querem mais andar.

Onde estou agora?

Guerreira Xue






































Imagem de Paulo Camargo
https://www.facebook.com/opoetadascorespaulocamargo


quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

El PREGUNTADOR /El Ogro y la Tejedora- extracto del libro

Gustavo es un chico de diez años Muy tímido y quieto en la escuela, educado y amado por sus compañeros. Es el benjamín de tres hermanos, un chico de creatividad y alguna tendencia artística. A él le gusta viajar en las vacaciones y acostumbra visitar sus primos y el abuelo que viven en el interior del Rio Grande do Sul, pero en su casa a él le encanta jugar en su Videojuegos  y así ha llegado a una buena historia. Su madre suele escribir y siempre que puede le cuenta algo.
Un día Guga (es así que todos lo llaman) preguntó:
_Mami, ¿Todas las historias ya fueran contadas?
_ Por supuesto que no hijo, ¿Por qué la pregunta? Ya te conté historias que no están escritas en ningún lugar. Y después, hay libros nuevos con historias inéditas siendo publicados todos los días.
_ No mami, yo hablaba de cuentos antiguos como; Braca Nieves y los sietes enanitos, la Cenicienta, El Gato con Botas…
_Mire que estos son clásicos y de los más contados en el mundo. Creo que algunas historias antiguas se perdieron sí, pues no sobreviven si fueren pasadas adelante. ¿Quiere un ejemplo? Las leyendas indignas eran contadas por viejas indias a la orilla de la hoguera, no fueran escritas y por razones obvias fueron desapareciendo con el tiempo. Claro que algunos investigadores están rescatando algunas de ellas, pero una buena parte desafortunadamente se perdió.
 _ ¿Qué es razones obvias mami?
_  Te explico hijo. _”razones obvias”, antes existían un gran número de indios, pero actualmente están reducidos a un número muy pequeño; sus historias y leyendas también se van siendo olvidadas con el tiempo y el mundo moderno.
_ Bueno hijo, hagamos un trato, te cuento El Ogro y la tejedora que es una historia antigua y que no está escrita en ningún lugar… ¡tengo certeza!
_ ¡¿No?!
_ Claro que no, yo la inventé cuando tus hermanos eran pequeños, la verdad que con los años fui perfeccionándola y hoy está más adaptada a los modales.
_ Te contaré un cuento hoy a la noche, _ ¿Quieres?
_ ¡Sí, Sí, Quieroooo!!
_ ¡Me diste una idea hijo! Besitos muachsss.

https://www.amazon.com.br/El-Ogro-y-Tejedora-Spanish-ebook/dp/B01M9F5YHD



domingo, 15 de janeiro de 2017

INVERDADES

Quando verdades e mentiras confundem-se, existem duas alternativas, ou a ignoramos e seguimos adiante, ou não ignoramos ainda tendo que seguir adiante. O peso da verdade, como bem o peso da mentira depende mais de valores pessoais, porque verdade ou mentira não dói, o que machuca são as pessoas.

Era dia de formatura, e sua mãe, apesar da idade avançada, estava radiante.
Estou bem filha? Perguntava sorridente para a Valesca que finalmente concluíra o curso universitário de contabilidade e Valesca sabia da importância do momento para ambas, de maneira que respondeu logo: "Estás maravilhosa mamãe".
A história de vida dessas duas mulheres é tão incrível que parece inacreditável, e mesmo depois de anos ainda restam lembranças fortes, e difíceis de serem esquecidas.
Filomena era casada com Paulo um fazendeiro abastado e tinha um filho. Alberto era jovem, bonito e com um futuro promissor. Na época o pai era plantador de mato e criava bois no pasto, de maneira que a vida financeira era bem tranquila. Foi num desses percalços da vida que Alberto acabou por engravidar uma moça, Maribel que era prostituta de um bordel, e terminou por leva-la para casa por causa justamente do bebe.
Filomena jamais imaginava que fosse ser avó em tais circunstancias, mas afinal era neto, e seu neto não ficaria sem teto.
Os meses passaram, e quando foi para ganhar o bebe correu tudo normalmente, e com toda assistência necessária a nenê nasceu com saúde e linda. "Valesca"
Mas a vida reservava mais surpresas... Ao chegar em casa de volta do hospital, o jovem casal se desentende  por alguma razão, e aos gritos e ofensas verbais a mãe joga a recém nascida no chão. Ao perceber o que se passa a avó pega a criança e ao coloca-la no berço, do quarto arrumado e enfeitado com todo carinho, retorna ao quarto do casal e pega a nora pelos cabelos e joga-a no chão surrando-a como se fosse uma selvagem.  Maribel foi de novo para o hospital, e Filomena foi presa em flagrante por agressão física a uma parturiente.
O Paulo contratou advogados para defende-la, e gastou uma pequena fortuna para livrar a esposa da prisão.
Maribel, ao sair do hospital, desapareceu sem deixar qualquer rastro. Alberto continuou a morar com os pais e a pequena Valesca, que foi crescendo... Muitas foram as vezes, que Alberto disse que Valesca não era filha dele, e que Maribel só escolhera o "trouxa mais rico para depenar".
Filomena não ligava se era ou não, só sabia que Valesca era sua filha e ia poupa-la de mais sofrimento e abandono.
Na realidade as coisas não correram exatamente assim! Porque Alberto não tinha mesmo juízo na cachola, e acabou por se tornar viciado em drogas. Quando tinha dinheiro era bem, quando não tinha ele carregava os objetos da casa para vender. E foram as jóias, dinheiros, móveis... Qualquer coisa servia para aliviar a dívida na "boca de  fumo ". O sujeito ficava muito louco, tanto que um dia tentou violentar Valesca.
A situação ficou tão insustentável que culminou com Filomena sair de casa, de mala e cuia com Valesca a tira colo. E Paulo ficou com o filho, que além de drogado levou-lhe o resto da fortuna para o buraco.
Então pergunta-se nesse momento o que serve, a verdade ou a mentira?
Pois anos mais tarde descobriu-se, por exame DNA, que Valesca não era  filha de Alberto. Talvez Valesca tenha sentido algum alívio, mas para Filomena isso pouco importava.
E hoje estavam ambas realizando um sonho. A campainha toca... Era Paulo chegando, e trazendo consigo mais abraços.

Guerreira  Xue