domingo, 28 de abril de 2013

SER PESSOA SOMENTE NÃO BASTA

Ao nascer, eu trouxe na bagagem uma linhagem herdada de um pai e mãe que nunca tinha visto antes, com tudo que ela representa, e ainda aparvalhado sem saber quem sou, percebo que todos a volta sabem já. Antes de aprender a falar ou andar, já fui parar uma igreja qualquer, e fui batizado e sacramentado como cristão, um filho de Deus.
Até quando me lembro, as crianças eram trazidas nos bicos da cegonha e como a grande ave tirava o bebe da barriga da "mãe" era realmente um mistério a desvendar, e que eu ainda ia descobrir, com certeza.

Dai para frente aprendi que ser judeu não é bom, pois estes eram contra, ou não acreditavam em Jesus e (sabia lá eu quem era este!) eu era um crente e sabia que ser ateu é um pecado mortal, o agnóstico é um burro, e fazer o bem faz bem, desde que saibamos a quem desinteressadamente possa nos retribuir, é o que há de melhor.

Como compreender riqueza ou a pobreza quando o máximo que fazemos é pronunciar mal e porcamente, repetidas pelos adultos que nos cercam, algumas palavras? E eram palavras de ordem que nos tornariam todos a seguir em grandes  preconceituosos, pois parecemos tão certo daquilo que cremos, que nem passa pela cabeça que um filho de católico, possa vir a ser um protestante ou um ateu ou um monge...
Tantas coisas nos ensinaram e tantas nos disseram, e para que? Para mais tarde descobrir tantas mentiras inventadas e fantasiosas.
E Como se tivessem vergonha de sua condição de humanos, escondem a própria sexualidade das crianças, que vão crescer e se tornar envergonhados também, e tornar a mentir para os filhos, criando assim um ciclo vicioso interminável. "Somos especiais, e abençoados por Deus, e temos que ser gratos e conformados, pois cada um tem a sorte que tem, e pronto."
-Só isso? Somos então agraciados e devemos ficar felizes por isso!
Não existe defesa para espécie, é cada um por si então?
Lembro-me que aos poucos, enxergando além daquilo que me mostravam ou queriam que eu visse. O meu primeiro choque foi a escola, pois nem todos tinham o que eu tinha, e outros tinham muito mais do eu sonhava imaginar ter. Ao fazer as contas foi fácil, entender o porque, para tantos faltava muito, é que me era difícil.
Uma vez cheguei mesmo a pensar que os filhos pagavam pelos erros dos pais, e que Deus realmente os castigava... Depois voltei a repensar, pois isso não era um pensamento meu, era o que queriam que eu pensasse, e diga-se de passagem. nem faz muito sentido, uma vez cada um cresce e pode pensar por si próprio, e pagar por dívidas alheias só se for em dinheiro vivo. E não me admira que a maioria das pessoas tem "nó" na cabeça com tanta confusão de pensares.

Nossa construção como ser humano vai além de um nome e eu acredito que todos somos criaturas dignas e Deus provavelmente prefere antes que qualquer coisa, que seus filhos cultivem a generosidade. sem distinção.
É difícil viver na terra dos homens e qualquer "detalhe"  por insignificante que seja, pode nos colocar à margem dessa sociedade bizarra.

Eu sou um garoto branco, de classe média, família católica e tudo corria muito bem para mim, até que um dia... Contrai uma doença de nome poliomelite, uma paralisia infantil, e fiquei para sempre com sequela no lado direito. Tudo mudou drasticamente, pois a minha mãe que era calma e gentil ficou com depressão por conta disso e nunca mais melhorou, meu pai se esforçava para ajudar a nós dois até que não aguentou mais e abandonou a família...
Hoje me pergunto o que poderia ter sido se eu não tivesse ficado aleijado,  ainda seria um "abençoado" com a vida amena e sem tropeço?. Não teria perdido aqueles pais amorosos que tive um dia. Vai saber o que a vida nos reserva... O jeito é dar um jeito, e viver.
E como mencionei antes, é difícil viver na terra dos homens.

Guerreira Xue
Imagem Net