quarta-feira, 15 de junho de 2016

Só Um Beijo, por Josué Souza

"Os funcionários não diziam nada; só alguns, pra não ficar sem graça, riam das favas e teorias de mundo de Venceslau. Com certeza qualquer resposta de mundo de hoje em dia provocaria uma discussão interminável no ambiente, e os homens com quem o trabalho tentava pôr as contas em dia seriam cerceados de vez de nenhuma palavra.
O silêncio pairou no ar. Só se ouviam os murmúrios do dono, em seu escritório, pelas contas que não fechavam da gráfica e os gastos com a mulher e a filha; os desarranjos das impressoras desvirginando os papéis em branco, penetrando com força tintas a laser, com faísca, como se retirassem daquelas folhas a ingenuidade de sua pureza, e revelassem a elas outros prazeres. Curiosamente um som diferente, de passos. Franklin saiu da sua bancada e foi ao banheiro. Cinco minutos depois, não outro funcionário, mas Alex também foi ao mesmo banheiro — o único masculino pra um ambiente de quase duzentos funcionários." 

Trecho do livro "Terezinha"
Lançamento no dia 05/07/16 na Livraria da Cultura do Conjunto Nacional, às 19:00 h, 
Av. Paulista, 2.073, São Paulo - SP