domingo, 2 de outubro de 2016

Sobre Elói Alves e seu Olhar de Lanceta

Hoje quero falar-vos de Elói Alves... Conheci esse jovem autor na Bienal internacional do livro em São Paulo em 2014, na época ele lançava seu livro “Sob um Céu Cinzento” pela LP Books.
Gostei de imediato da maneira franca com que o autor retrata a cidade e suas mazelas sociais. A poesia dentro do quotidiano caótico de São Paulo.
A seguir li também seus livros anteriores, o romance “As Pílulas do Santo Cristo” e “Contos Humanos”.
E em 2015 o Elói lançou ensaios críticos sobre literatura e sociedade “O Olhar de Lanceta”. Uma expressão Machadiana que diz muito. Eu pensei logo, o que será que o Elói vai dizer?
Num apanhado da história, o autor partiu do “descobrimento” ao comportamento do homem frente à vida moderna com suas misérias e avarezas, egocentrismo, cultos pseudorreligiosos, e a tentativa incessante de conquistar seu império pela força escravista.
Como explicar tanta atrocidade histórica quando ela é perfeitamente encaixada e aceita na sociedade vigente?  A exploração do homem pelo homem chega a raias da loucura, isso num tempo sem tempo para sentir remorsos, pois a dor do outro, jamais será sentida por quem nasceu branco, rico e senhor.
E o olhar “dele” é objetivo, sagaz e pontual, e o mais importante, uma analogia embasada em grandes referências intelectuais literárias e filosóficas.
E para quem não leu, vale ler.
O que eu penso?  Que Elói Alves traz agora um novo gênero para enriquecer a sua carreira. E fico a espera do próximo, porque de onde veio esse, com certeza virá mais.

Guerreira Xue
https://www.facebook.com/escritoreloialves