terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

O QUE É SENTIR /por Celso Freire

O que é sentir?
Seria perceber as vibrações e os movimentos?
Seria admirar uma libélula em zig-zagues,
Às margens de algum riacho?
Seria contemplar uma gota d'água que se forma?
E que dentro em pouco não estará mais ali?

Afinal de contas, o que é sentir?
Seria penetrar em um olho e trocar confidencias?
seria tocar o lábio da pessoa amada
E experimentar um doce contentamento?
Seria criar asas e voar
No rumo das nossa esperanças?

sentir, sentir, sentir...
Seria a sensação do espinho que fica
E faz brotar o sangue do espinho da flor?
Seria o vermelho do sangue, o vermelho da flor?
Seria o alívio de esvaziar-se da dor?
seria apreciar o perfume do vermelho da flor?

O que é sentir
seria o rescaldo da carga que carregas?
seria a leveza por não levar peso algum?
seria o eco da bomba de Hiroxima?
seria o amarelo do canto de um colibri?
Seria o ruído do vento nos campos de Renoir?

O que é que sentir é?
Seria perceber o aroma da música de Mozart?
Seria admirar a cor do pincel natural?
seria o refugo na beira do rio?
O frio da travessia? O imã da margem de lá?
Seria a pressão do tempo sobre a vida?

Sentir!...
Seria submeter-se ao tripallium de cada dia?
Seria engolir a sopa de Potekin Encouraçado?
Seria levantar-se contra os que lhe tiram a pele?
Seria cuspir na cara de seu carrasco?
Seria, mansamente , oferecer a outra face?

O que é sentir?
Seria a dor do exílio entre Marília e Dirceu?
Seria procurar a sua agulha no palheira?
E se voce não encontra-la ? Vale a busca?
Seria viver no mundo de Sofia?
Seria viver imensamente todo dia?

Mas o que é mesmo sentir?
Seria ouvir a fome catando migalhas?
Seria ligar-se no pulsar de toda a essência?
Seria viajar por dentro de mim?
Seria o refluxo a resposta não?
Seria a espera da palavra sim?

Sentir...
Seria o peso de um beijo de trinta dinheiros?
Seria o rubro da cara que cora?
Seria o amargo na sua memória?
Seria voce o espelho e voce?
Seria olhar-se e ter medo de ver?

O que é sentir
Seria a alegria do meu corpo colado ao seu?
Seria a lira do instante agora?
Seria o doce da fruta amora?
Seria o canto do clarão da aurora?
Seria o fogo do dia que vai embora?

Sentir o que é?
Seria a picada anestésica do pensamento?
Seria a serena expressão da lucidez?
Seria amar sem o antes e sem o depois?
Seria intensidade de luz no meu jardim?
Seria eu cuidando bem de mim?

Sentir...
Seria o tentar esconder-se da morte?
Seria o pleno significado da vida?
Seria o calafrio do medo que congela?
Seria a tensão da força que enfrenta?
Seria emfim um poema sem fim?

Celso Freire em "Um Silva de A a Z"
https://www.facebook.com/jcelsofreire