sexta-feira, 9 de junho de 2017

ELES VIERAM DE LONGE

Eles vieram de longe... E agora Não tinham mais como voltar Navegando em busca da esperança Ao encontro de um novo lar Eram muitas as vezes Que chorando olhavam para trás E um pensava na mãe Que perdera na infância Sim Porque até negro foi um dia criança Eles que separados pela distancia Pensavam nos irmãos Nas tardes de banhos no rio Na casa da avó No rancho beira chão Levados pela sobrevivência Atravessaram mares e oceanos Quando finalmente aportaram Era uma nova querência E ali findariam seus anos Tinha um senhor para servir No lugar que não havia guerra Para tanto o que se trabalhar Eles eram pobres negros, órfãos E não lhes cabia o direito à terra E ao chegar as noites de inverno Como que para aliviar seus fardos A dureza do inferno Punham-se os negros a dançar Lembrando da mãe África Daqueles dias ensolarados Em seus destinos haviam uma certeza Nunca mais retornariam além mar Aos negros restava a escravidão E aos brancos Ficou o trono da realeza E da senzala o ouvia-se os gritos Ora de cantoria, ora de tristeza Eles vieram de longe E agora Não tinham mais como voltar...
Guerreira Xue