segunda-feira, 1 de abril de 2013

DEIXA EU TE AMAR

- Conheci a Florinda há uns bons vinte anos e depois dela, a vida nunca mais foi igual para mim...
Veja que não foi um amor a primeira ou a segunda vista... Alias, nem sei quando comecei a gostar realmente dela. Demorei um bocado para me dar conta disso, sempre fui meio "tapado" sabe.
Na verdade eu estava era de "olho" na sócia e irmã dela, ambas eram dona de um pequeno restaurante perto do mercado que eu gerenciava no bairro.
Linda era muito vistosa e elegante tinha boa conversa e um riso fácil. Já Florinda nem tanto, era séria e compenetrada.
O fato é que Linda não me levava muito a sério e muitas vezes acabava por me deixar sozinho no restaurante, e com quem? Com a Florinda... E Florinda por sua vez, só me dava atenção por pena, de ver a irmã se comportar de maneira tão desagradável para comigo. Risos...
O barman acenava positivamente quando convinha ou negativamente quando apropriado e continuava com seus afazeres...
o homem do balcão estava ali há horas bebendo e falando... Gaspar, o barman, servira-lhe um martíni seco e o sujeito estava fazia um tempão enrolando com aquele drink quase que intacto a sua frente. "Velhote esperto, sabe que para ficar tem que beber, e agora desatou a desabafar. Eu devia era ganhar um extra por ter meus ouvidos servindo de penico deste povo".
E o homem continuava...
Florinda falava de tudo que era interessante, só omitia sua própria história eu até que perguntava-lhe mas ela era esquiva e sempre que podia, desviava o assunto e então quem me contava mais sobre ela, era a Linda.
-Ela viveu com um cara que tinha muito dinheiro e tiveram dois filhos juntos mas um dia ele simplesmente vendeu todos os bens que tinha e se "mandou", deixando ela e os pequenos para trás. Eu ainda era uma estudante e minha irmã me pagava a minha faculdade, sabe. Florinda perdeu a casa confortável, pois não tinha como custear um aluguel tão alto. Sem dinheiro e com sacrifício fomos reconstruindo nossas vidas, eu acabei meu curso de administração graças as comidinhas que Florinda vendia, e juntas fomos montando este pequeno negócio aos poucos, as crianças cresceram e agora o mais velho, que é engenheiro civil, mora na Austrália e Isabela faz intercambio no Canadá.
Está interessado na Florinda Homem?
Quase engasguei de surpresa.
-Claro que não, só estou curioso.
-Uma pena, pois queria muito que Florinda fosse feliz com alguém um dia.
Minha irmã é a melhor pessoa que conheço no mundo. Sabe que mesmo trabalhando muito no restaurante, ela faz voluntariado uma vez por semana num abrigo de moradores de rua?
E de quinze em quinze dias ela sobe o morro e vai dar aulas de culinária para os moradores?
-Como vou saber se ela nem diz nada?
-E penso que nem dirá...Risos... Florinda é como poucas, e poucos a verão, como realmente ela é...
Eu fui conhecendo Florinda então... E fiquei irremediavelmente apaixonado. Confesso que não foi fácil convence-la para morarmos juntos, mas consegui!
Agora tem uns seis meses que ela anda estranha e não consigo atinar o que seja. Vejo que ela não tem dormido direito e com frequência a pego com os olhos inchados...
-Deve ser alguma coisa com os filhos. Diz o barman...
-Também pensei, mas os meninos estão bem e recentemente nasceu uma bebezinha linda e prometeram vir no Natal todos...
De tanto eu insistir, ela me contou ontem que reencontrou o seu ex marido e que andava muito preocupada com sua saúde. Sei que ele foi importante na vida dela e que tem juntos os dois filhos, mas que diabo tinha que voltar agora?
Acabamos por discutir... E ela então me disse que hoje iríamos juntos vê-lo e eu ia entender, o que se passava.
O barman que estava distraído torna a dizer:
-Está com medo de perde-la é?
-Nem pensei nisso!
-Pensou sim, admita. Quem ama é egoísta e individualista. Até quem não ama é.
Quieto o homem deposita no balcão o pagamento do drink e mais a gorjeta e levanta para sair.
-Se voce voltar amanhã, o drink será por minha conta. Diz o barman.
-Por que?
-Pura curiosidade. Risos...
No dia seguinte lá estava o cliente outra vez com outro Martini seco a sua frente.
-Fui com ela ver o ex marido. Não sei como Florinda guardou esta história tanto tempo...
O barman tentava não parecer atento, então disfarçava ...
-Ele é morador de rua, o ex marido de minha Florinda é um morador de rua... Apareceu no abrigo tem coisa de seis meses, Florinda percebeu logo que ele estava doente, pois de primeiro momento nem a reconheceu. Mais um viciado miserável que perambula pelas ruas.
Que merda de vida! Queria que o desgraçado estivesse bem e longe.
Nem os filhos sabiam de seu paradeiro, e agora teremos de contar-lhes pois o infeliz está morrendo, não bastasse o vício das drogas e álcool tem um câncer roendo-lhe o pâncreas.

-Bem, veja pelo lado bom, e existe o lado bom. Diz o bartender
-Os filhos vão poder estar perto do pai em seus últimos momentos, as mágoas e ressentimentos por terem sido abandonados pelo pai vão “zerar,” o sujeito será perdoado e amparado com atenção e afeto e a Florinda não vai te largar. E com certeza ainda vai te amar muito mais por voce apoia-la nesta fase complicada.
Não somos os únicos a querer ser feliz na vida homem, pois se assim fosse ainda não conseguiríamos ser, pois além de nós, existe os outros e a estes também queremos bem e queremos que estejam bem.
Voce e este "coitado" tem sorte, sabia? Por ter Florinda.
Há pessoas que não conseguem amar mais que a família, a sua mulher exercita as mais variadas formas de amor e são poucos os que tem esta capacidade.
Vai homem, bebe seu drink e vá cuidar da vida, porque voce é que é

Guerreira Xue/Hilda Milk
https://www.facebook.com/GuerreiraXue