domingo, 13 de outubro de 2013

MEU VELHO PAI, ELETRICISTA

MEU VELHO PAI, ELETRICISTA

Acorda bem cedo, abre a cortina,
toma um café para se concentrar,
o seu talento é uma obra prima,
com passos largos vai trabalhar.
Entra em cena esse grande artista,
meu velho pai, eletricista!

No relógio de força e no chuveiro,
luz e energia não podem faltar.
Muito serviço o dia inteiro,
almoça, retorna sem reclamar.
Sempre alegre e otimista,
meu velho pai, eletricista!

Chave de fenda, fios de cobre,
a fiação e cabos para instalar,
tem habilidade esse homem nobre
com cálculos e desenhos para interpretar.
Sobe na escada o mestre equilibrista,
meu velho pai, eletricista!

Zela com amor máquinas e ferramentas,
conhece teoria, prática e legislação.
Em casas, prédios e departamentos,
com luva e bota faz a manutenção.
Desce da escada esse grande idealista,
meu velho pai, eletricista!

O conserto, o choque, o teste, o reparo,
o serviço e a equipe para supervisionar.
Um profissional desse é muito raro,
dá uma aula na arte de trabalhar.
Ajudou muita gente esse altruísta,
Deus te abençoe, meu ídolo,
poeta da luz, meu amigo e artista,
meu velho pai, eletricista!

Luizinho Bastos
Pág 34 do Título INISIGHTS PELOS CAMINHOS DE DEUS
Edição Paulinas