sexta-feira, 1 de novembro de 2013

O CAOS/ Trecho de O livro dos dias

Em muitas eras distantes para trás, já existia o éter e no éter reinava o caos, e era esse um emaranhado de planetas flutuantes a deriva, até que encontravam uma estrela maior, um sol, com tamanha força magnética que os atraia, e como cada planeta tem seu diferente grau de magnetismo físico, cada um se posicionava em distancia diferente da estrela maior. E assim se formavam os sistemas solares, com planetas girando sobre si, e em volta da estrela maior

 Existiam também os viajantes do espaço, os chamados mestres do éter, esses seres oriundos de outras galáxias, bem mais antigas, que ao ultrapassarem seus portais, aportavam em pequenos planetas trazendo a luz do conhecimento aos primitivos. E esses eram adorados como deuses supremos e encarnavam tudo o que um vil mortal poderia desejar. Um Deus que lhe tomasse conta dos dias, que os protegesse nas noites de sono profundo. Eram esses os nossos antepassados, que  foram criando deuses para tudo, e então desde o nascer do sol até o cair da lua, tudo era divino.

Grandes nações se ergueram em riqueza e conhecimento, e numa sucessão de épocas as mesmas caiam tombadas por guerras e destruição, enquanto outras se elevavam na balança da escravidão, tendo em mente a ambição desmedida por poder e fortuna aliada a força bruta.
-Primitivos, não aprendem.  Diziam "Os Deuses".

E por haverem tantos Deuses, um dia apareceu o "único".
... E novamente era o princípio "E não terás outros deuses além de mim. És o escolhido e por isso te darei a terra e tudo há nela". Mais uma reviravolta que faz um homem simples dar a luz a uma nação de assassinos, pois ninguém que pisasse aquele chão era digno deste novo e onipotente Deus.

E a terra andava ainda assolada por Deuses pagãos, mas o "único" novamente intercedeu e mandou construir uma arca para nela depositar somente os escolhidos, pois água afogaria todo o pecado. E chovendo 40 dias e 40 noites, segundo o livro sagrado, a maior montanha do mundo ficou submersa.

E outra vez o mundo recomeça...

São tantas as promessas e profecias... Renova-se a aliança  e os escolhidos vão crescendo e multiplicando-se para um dia chegar a terra prometida, essa onde com fartura jorra o leite e o mel
" Os humildes herdarão a terra". Palavras de impacto que selavam mais um pacto.

E de mudança em mudança o mundo girava, e por vezes eram trevas e outras eram luz, e as gerações passavam... Os animais foram escasseando, e o homem que estava livre de qualquer predador se prolifera indiscriminadamente causando miséria e fome a sua própria espécie, devastando as florestas, poluindo os rios, infectando a terra e os mares com lixo de toda a sorte, com seus aditivos químicos causando um desiquilíbrio em todo o eco sistema. Será que Deus não viu isso?

No Séc. XXI DC. a terra completamente dividida em grandes glebas, e seus chefes de estados com poderes muito além daquelas civilizações do passado, culminando com uma suposta democracia onde quem obedece é o povo. As tecnologia em franco avanço renega os valores arcaicos e fortalecendo o novo poder, o capital, de quem tem e sabe barganhar.

Agora os lideres mundiais dominam o mercado armamentista, controlam a água e a comida e o dinheiro. As máquinas estão progressivamente substituindo a mão humana. Não há mais espaço para as gentes, e sobram famintos por todo lado.

Os meios de comunicação manipulam a informação, e o que antes era censura, agora é jogado sem restrição nas redes sociais tornando-se um amontoado sem nexo para analfabetos funcionais que insistem em ignorar o conhecimento, e a interpretação do mesmo.

A escravidão nunca deixou de existir e a pirataria não sai de cena dando sustento a quem não tem outras oportunidades.
As drogas tornaram-se tão necessárias que os laboratórios são gigantes poderosos na produção de virus e ant virus.


Estamos agora no ano de 2500, as crianças já não nascem há uma década, e é chegado o tempo dos mestres do Eter retornarem. O julgamento vai começar...

Guerreira Xue/Hilda Milk