sábado, 15 de agosto de 2015

MARIA PERNAS DE SARACURA

Maria pernas de Saracura
Quando a Maria pernas de saracura apareceu pela primeira vez naquela escola foi um alvoroço geral,
pois todos achavam-na magra demais, escura demais, feia demais, desengonçada. E ao caminhar então! Parecia mesmo uma saracura.
As meninas a ignoravam-na, nem todas claro, pois tinha uma que fazia questão de dizer, de maneira rude e direta, ao mencionar que não andava com negra.
O grupo das negras era fechado não a aceitavam por ela não ser da "família", os meninos faziam troça de suas pernas e toda vez que por ela passavam convidavam-na para pescar, sendo ela o caniço da pesca evidentemente.
Maria tinha uma cor bronzeada inverno e verão, tinha cabelos fartos lisos e negros, tinha também uma boca grossa, o que rendia-lhe mais apelidos, e eram do tipo "beiçuda, gamela, boca de galocha, bicuda, etc... etc.."
Óh vidinha cruel!
Maria chorava de raiva deles, e de pena de si, e muitas foram as vezes que brigara na escola, e pasmem, a "pernas de saracura" batia em que quisesse.
Foram anos difíceis até passar a adolescencia.
Mas um dia o tempo passa e a idade vai moldando o corpo, e já com 16 anos Maria foi abordada em pleno calçadão de Porto Alegre por uma moça que deu-lhe um cartão para fazer um teste para fotografia. Ela não podia estar mais surpresa, como ela podia fazer qualquer teste para fotografia se era ridiculamente feia?
"Não vai te custar nada" Disse a moça.
Passado dois dias, Maria foi para fazer o tal teste, e para a sua surpresa, ela foi contratada para ser modelo de revistas, pois para passarela não tinha altura ideal.
Os primeiros cashês não eram grande coisa, mas à medida que apareciam novas ofertas, as cifras também aumentavam. Custeou sua universidade, adquiriu bens e propriedades, e Maria fazia comerciaisde cosméticos, roupas, sapatos, perfumes...
Que dizer dos tempos de escola? Quase nada, pois foi um alivio ter terminado.
Maria nunca mais viu ninguém daquela época, pois a vida deu-lhe um rumo bem diferente e foi para longe. Hoje é uma mulher madura, linda e bem sucedida, mas ainda traz dentro de si  a Maria pernas de Saracura, a negra que não era negra, o caniço, a boca de galocha, pois acha que isso dá-lhe um certo equilíbrio.
Tem momentos que Maria se lembra de uma frase da avó, e ri: 
“Se nem tudo que brilha é ouro, nem tudo que cheira é merda.” 

Guerreira Xue