domingo, 21 de fevereiro de 2016

Quantos anos tenho?

“Quantos anos tenho?
Que importa isso!
Tenho a idade que quero e sinto!
A idade em que posso gritar,
Sem medo aquilo que penso.
Fazer o que desejo, sem medo ao fracasso
Pois tenho a experiência dos anos vividos,
E a força, e a convicção de meus desejos.
Que importa quantos anos
Não quero pensar nisso!
Pois uns dizem que já sou velho
Enquanto outros “que estou no apogeu”.
Porém não é a idade que tenho,
Nem o que as  pessoas senão o que meu coração sente, e o meu cérebro me dita…
tenho os anos necessários para gritar, o que penso
fazer o que quero, reconhecer erros velhos
rectificar caminhos e somar êxitos
tenho a idade em que as coisas se olham com mais calma
porem com o interesse de seguir crescendo.
Tenho os anos em que os sonhos
se começam, a acariciar com os dedos,
e as ilusões se convertem em esperança.
Tenho os anos em que o amor,
às vezes é uma louca lavareda,
ansiosa de consumir-se no fogo,
de uma paixão desejada.
E outras vezes…num remanso de paz, como o entardecer na praia
quantos anos eu tenho?
Não necessito marcá-los com um numero,
pois os meus desejos alcançados,
as lagrimas que pelo caminho derramei,
valem muito mais que isso.
Que importa, se tenho, cinquenta, sessenta, ou mais!
O que importa é a idade que sinto!
Tenho os anos que necessito para viver livre,
pois levo comigo,
a experiência adquirida, e a força dos meus desejos
quantos anos eu tenho???
Isso a quem lhe importa?
Tenho os anos suficientes, para perder o medo,
e fazer, o que quero e sinto
que importa quantos anos tenho, ou quantos espero,
se com os anos que tenho…
aprendi a querer o necessário, e a agarrar…apenas o bom da vida!!!”
(José Saramago)