quinta-feira, 18 de julho de 2013

SEU JORGE

Seu Jorge  (Um Poema Torto)

A felicidade é qualquer coisa
Sem uma receita infalível
É só um querer com vontade
Tornar algum sonho possível
Fazendo dele uma realidade

Ai que a tal felicidade é sorrir
É ter uma cama debaixo do céu
Um velho chão batido sob os pés
E para os dias de chuva ter um véu
Com um caminho adiante para seguir

Felicidade...
É ter uma mulher como a Maria
Um naco de pão para saciar a fome
E o cão amigo por companhia
Um bom filho para honrar o nome

Felicidade é qualquer afeto
Sem ironia ou sem pretenção
É não desejar tanto da vida
Um embalar suave no coração

Felicidade
É transpirar a boa ação
Seguir o caminho trabalhando
Mantedo a mente na distração

Seu Jorge
gostava de conhecer o mar
Mas já é grato pelo  dia de hoje
E de todas as maneiras
o velho ontinua vivendo
 bem devagar

Pois se o amanhã não chegar
Há que o hoje aproveitar

Seu Jorge é pessoa que não ri
E o seu meigo olhar, também sabe chorar
Não bate, não insulta e não se faz amargo
Sem perguntar se alguém merece,
Convida todos as sentar
Pois da vida pouco se careçe
E só a Deus se compete julgar

Leva os netos para passear
A sua a idade ninguém sabe
E por qualquer razão, não importa
O homem e a arte de contemplar
O sol ir e vir é uma satisfação
Um semblante calmo e sorridente
Daquele de quem um dia, foi servidão
Para descobrir a felicidade de um nada
Um nada
que traz consigo a alvorada

Felicidade
É uma pedrinha colorida
Um barco que vai ali partindo
E o mesmo barco que um dia se foi
Vindo ali, agora voltando à vida
Trazendo a sua bem amada
 Em alvura de criança sorrindo

O seu Jorge diz que sabe pouco
Entretanto é o mais sábio que conheci

Carrega uma alma vivida dentro de si
E de bom grado o velho recebe seu presente.
O dia.

Guerreira Xue
                                                       Imagem da Net