domingo, 9 de abril de 2017

O DESTINO

Por razões alheias a nossa vontade, a vida como ela é nos faz dar imensas voltas, até chegarmos ao mesmo ponto de partida. A frustração se dá pelo fato de não compreender a oportunidade que temos de fazer diferente, porque só assim poderemos seguir adiante.
Munir estava derrotado, pois perdera a casa, a esposa e todo o dinheiro da família e nesse momento, como todo o derrotado, se encontrava só.
Recomeçar do zero! Não, recomeçar somente, mas primeiro haveria o homem que amargar os fracassos, sofrer as dores das perdas morais e materiais. Não acredite que alguém saia impune dessa vida, porque não é verdade. E para tudo há um preço, portanto presta atenção com a razão, e com o coração.
A felicidade de cada um em geral é aquilo que mais satisfaz, um critério feito seja pela falta ou pela fartura que o sujeito teve em sua trajetória.
O Munir sofreu e sofreu. Tinha sido rico, e agora não mais.
Os anos passaram e "Ele" superou as perdas do dinheiro e da esposa. Os filhos cresceram, e se lembravam dos tempos de bastança não diziam nada, porque amavam o pai, e o amor tem um outro valor, pois é algo que o dinheiro não compra. E cada um vai trilhando seu destino.
Hoje o Munir está lá no ponto da partida novamente, e com coração acelerado começa a sussurrar; dessa vez será diferente.

Guerreira Xue/ Hilda Milk