domingo, 9 de abril de 2017

PARA ONDE FORAM TODOS?

Ao abrir os olhos, eu olhei para o lado e não vi  ninguém, e me vi deitada na cama, num quarto que me era totalmente estranho. Ainda confusa chamei pelo meu pai e logo a porta se abriu e dela surgiu um garoto que disse; voce está bem vovó? Não respondi de puro espanto. A seguir entrou um jovem alto que reconheci de imediato; papai o que houve, por que estou aqui, eu fiquei doente?
Ele aproximou-se e delicadamente disse; eu sou o Paulo e sou seu filho mamãe. Voce caiu da escada ontem a noite por isso está na cama, mas está tudo bem agora; ao contemplar o garotinho nervoso eu lembrei, era o Daniel que muito assustado não entendia o que se passava; como voce se parece com meu pai, e que sensação estranha meu filho. Por um momento, eu pensei ainda estar na casa de meu pai; deve ter sido da queda mamãe, ao cair você além de desmaiar, quebrou duas costelas e segundo o doutor terá de ficar em repouso por alguns dias. Essa confusão deve ser resultante do choque e da medicação forte, afinal foi um tombo e tanto. Sente-se melhor agora? Sim obrigada.
Passou os dias e eu ainda me via num emaranhado de lembranças entre o passado e o presente. Eu estava me esquecendo da adulta que eu era, e me sentia uma criança totalmente desorientada. Foi quando o medico diagnosticou "Alzheimer". Essa palavra caiu como um raio na cabeça de todos, uma vez que pouco sabíamos da doença. E foi preciso tempo para absorver toda a informação e entender que não há cura essa doença, e sim um  tratamento no sentido de suavizar a coisa toda.
 Desde então tenho tratado de maneira a retardar o avanço da dita e um melhor controle dos sintomas. Não tem sido fácil é verdade, mas procuro manter a calma e vivo um dia de cada vez com alegria e gratidão.
 Para onde foram todos? Ao que meu filho mesmo impotente, me responde; estamos aqui mamãe, e sempre estaremos. Assim são os meus lapsos, apagões que vão levando consigo as minhas memórias. E enquanto estou lúcida vou escrevendo, e fotografando a minha vida, a minha família e tudo que possa me reportar a mim própria.
Que seja infinito enquanto dure.

Guerreira Xue/Hilda Milk