quarta-feira, 14 de agosto de 2013

COTIDIANO


Depois de tantos acontecimentos nos últimos dias em nosso cotidiano, doses cavalares de Papa e de manifestações misturados com o campeonato nacional.Estou propensa  ao comentário filosófico.
 Barbaridade!!! Nem sei se alguém merece tudo isso. Riso...
Dos tantos caminhos que a vida nos proporciona, ainda deparamos com duas alternativas radicais, sem meio termo, as mentiras e as verdades.
Partindo do principio que nem todos tem um conhecimento em mesma proporção.As mentiras e verdades nestes casos, também variarão.
É bem verdade que toda  a mentira assumida, consagrada e incorporada, acaba na maioria das vezes por se tornar tão verdadeira quanto a rocha maciça. E vice versa.
Todos andam a cata de alguma razão especial para viver ou morrer, quando que este é um fenomeno que acontece com qualquer vagabundo, como dizia minha vó. Morre-se de qualquer coisa e em qualquer circuntancias. Porém viver ainda pode ter alguma influencia pessoal, e ainda assim requer força e vontade.
Queria poder dizer que sei direitinho como deviamos todos viver, mas  nem sei o que vou comer no almoço de amanhã... Ou seja, vire-se porque a coisa não é bem assim que funciona.
Todos os dias recebemos enchurradas de informações por todos os orifícios de  percepção e vamos intercalando nossas ações e humores em função disso.
Lembro de que não tem muitos anos e haviam muitos tabús e pouca coisa era  permitido para pessoas de "bem". A maioria "rezava" na mesma cartilha e quem não atendia a esta espectativa, imediatamente era descartado de seu ambiente, para não apodrecer as demais "batatas do saco".Na desvantagem de ser banido da familia, restava o ganho de "liberdade" desgraçada...Risos.
Voltando ao assunto que interessa, os excessos do cotidiano.
Penso que exercemos todos uma bipolaridade sem prescendentes e merce dos acontecimentos que nos cercam .
Enquanto assistimos ao Papa pregando a valorização da humildade,  aparece a violencia das manifestações pelas ruas da cidade, os índios (ainda bantendo nesta  tecla eu), que não conseguem exercer seu direito a terra  que pasmem, é garantido pela constituição federal. O Frio e a chuva castigando a vida lá fora com pessoas que morrem ao relento, e eu aqui dentro no quentinho, com problemas que parecem sempre sumir, comparados aos que jogam em minha "cara" todos os dias.
A fé é uma coisa que todos realmente tem que ter, afinal tem que haver razão para sair todos os dias da cama, não é verdade?
 Pessoalmente não critico ninguém e penso que cada administra seu viver conforme lhe convém.
O Papa Francisco tem mesmo muito carisma e aparenta uma simplicidade que faz qualquer um, se sentir importante ao contempla-lo. Claro que consideremos também, que este representa o maior poder da terra e que não deve ser dificil ser simples com toda aquela riqueza, enfim....
Tenho fé também, que acham? Acredito em quem acredita, porque quem acredita  age, e toma atitudes e muda o estado de coisas.
Me sinto cínica, hipocrita, e dona da verdade, as vezes, e não procuro mais Deus em altares ou igrejas, porque se ele existe mesmo, está dentro de mim, de voce e de qualquer um ser que habita este cosmos.
E ser feliz depende do ponto de vista. Um miserável não consegue mesmo sorrir, de barriga vazia, então a sua felicidade está num pedaço de pão, é momentanea uma vez que sentimos fome com mais frequencia que gostariamos. Um rico quer ser amado bem além do dinheiro que tem, como se passa isso também é um mistério, só se este mentir ou virar pobre. Vai entender estas confusões  de pensar, pois se o rico não fosse tão rico, e nem o pobre tão miserável...Quem sabe iam procurar outras razões para serem plenos.

Concluindo então... A felicidade pode ser um estado social!
E as dores alheias nos matam mais, do que aquelas que a gente tem.
Guerreira Xue


                                                    Imagem Antonio Fazendeiro