domingo, 6 de abril de 2014

DE CAMINHO (primavera)

Enquanto seguia pela alameda florida, ele sentia seu ego nas alturas. E um passava e cumprimentava-o sorrindo, e outro elogiava-o.
-Ola bom dia Raimundo!
-Que jardim maravilhoso Raimundo! E Raimundo respondia com um amplo sorriso, e seguia...
Claro que ninguém esperava que ele respondesse, mas o sorriso encantava.
Aquele jardim era público e não era, pois todos diziam ser do Raimundo.
As flores brotaram do dia para a noite, os pássaros vieram do nada, e a fonte voltara a vida.
E mesmo que dissessem que o milagre chamava-se primavera, outros sussurram que era Raimundo, e para Raimundo isso pouco importava.
Guerreira Xue