segunda-feira, 21 de abril de 2014

Numa Praça Tiradentes Qualquer (Abril)

_Era um dia de Abril qualquer, e ele não queria mais que liberdade.
_Como, não mais que liberdade? Se a liberdade, é tudo que se quer.
Dizia um:
_ Ele só pensava nos desafortunados, liderando os chamados inconfidentes, e não achava justo sermos explorados. Como também não foi justo ser enforcado e esquartejado.
O outro retruca:
_Ele era um idiota, pois foi o único que morreu, os companheiros livraram-se, eram filhos de endinheirados, mas o governo queria dar um “exemplo”.
Lá se vão mais de 200 anos desde a inconfidência e os ricos, ainda usam pobres para lutar suas batalhas.
Guerreira Xue /Hilda Milk