sexta-feira, 18 de setembro de 2015

A DONA

Eu nasci no beco, e por pena, uma menina me pegou e me levou para esta casa onde moro agora. Gosto da minha dona, mas ela tem mania de banhos que só vendo, e eu me pelo de medo.
E fico tão desesperada que me agarro nela com força e pá! Perco uma unha.
É verdade que depois me paro cheirosa e com pelo de seda.
Depois da miséria, sou princesa agora, e não perco a hora do almoço ou do jantar. O dono me detesta, mas quem disse que eu ligo? Ainda bem que não preciso chama-lo de pai.

Guerreira Xue