domingo, 13 de setembro de 2015

ELES CHEGARAM/ THEY ARRIVED

Eles chegaram,
E junto trouxeram suas armas
se fosse o caso de matar
Um preço razoável pela conquista
da bela terra, do ar, das matas
e do mar.

Eles chegaram
Trazendo suas roupas, presentes
sua doenças e os sermões
E veio junto um Deus
com o livro das receitas
que continha as suas crenças
fé e outras ilusões.

Eles chegaram
Usurpando eles saquearam
e mataram em toda eira
Trouxeram consigo seu paraiso
como se aqui não houvesse
Marcaram o território com nosso sangue
impondo ao mundo sua nova fronteira

Eles chegaram
E de tudo, os selvagens se apossaram
Menos de minha alma guerreira

Porque é no silencio da noite
que os sonhos se acordam
Escuto ainda o crepidar da fogueira

O mar balançando suas ondas
o estalar da grande mãe floresta
e das águas doce da corredeira

Ouço a amiga kururu a corujar
o vento a ssussurrar suas estórias
e nossas canções de embalar

Eles chegaram
eram brutos com alma errante
portando a escória e corrupção
Vieram do além mar para  ficar
Isso num tempo já distante

Eles chegaram
A pedra e o ferro mediram forças
E na terra fizeram-se ocupantes
mataram os nossos filhos
tombaram as nossas florestas
nossa cultura, nossa ciencia
roubaram o ouro, a madeira
e aquelas pedras brilhantes

Os nossos sonhos não extirparam
esses eu sei
eles não puderam levar.

Eles chegaram
E o chão que não tinha dono
agora tem
Eles ficaram
e daqueles que restaram
a minha gente desapareceu
escondendo-se nas entranhas
da terra
E talvez um dia possam voltar.
Guerreira Xue