quarta-feira, 28 de agosto de 2013

ANOS

Quantos verões já se passaram
Quantos amores nunca chegaram
Quantos invernos sem ter neve
 E tantas dores em nós marcaram

Quantas flores em sereno molhado
Quanto silencio na morte da mulher
Quantos suspiros do homem amado
E tanta saudade para remoer

Quantas crianças perdidas na terra
Quanto sol na roupa do varal
Quantos rumores em tiros de guerra
E tanta chuva no dia de temporal

São noites e são dias
Com incontáveis gostos e sabores,
São ristezas e são alegrias
Mesclando escuridão, luzes e cores
Guerreira Xue

                                                      Imagem Antonio Fazendeiro