domingo, 1 de setembro de 2013

MAR SALGADO

O barulho alto das ondas
Batendo forte nos rochedos
Rompendo bruscamente uma melancolia
Há muito tempo instalada
Segue afugentando meus medos

E o vento matreiro, movimenta as gaivotas
Também balança meus cabelos
Pingos de chuva fina surgem
Vão molhando o meu rosto
Reavivando em mim lembranças mortas

E a chuva vai engrossando
Confundindo-se com minhas lágrimas
É um choro de saudade e desgosto
Lá no longe azul do horizonte
Há um barco que distante despontando

Os olhos embassados faiscam
E uma pequena luz surge
Bem que podia ser você
Voltando para casa
Retornando aos que te amam

É sem querer as esperanças vivas
Volte amor, é o que mais quero
Para os braços de sua gente
Pois faz muito tempo, é verdade.
E contrariando todas as expectativas,
Somente eu, ainda te espero.
Guerreira Xue


                                Imagem Net