segunda-feira, 2 de setembro de 2013

METADE E METADE

Uma vez andava eu
Tranquilo pela rua
Quando deparei-me com ela
Era quase noite
E no ceu, já nascia a lua
Ela estava na loja de doces
Parecia alheia a tudo
E era uma visão bela
Há dias eu não falava com alguém.
Me senti atraido pela figura
Seria por causa da rua
Ou pelo efeito da lua
sei lá...
Fiz um comentário idiota
Isso é grande demais
Para se comer sozinha.
Ela me olhou surpresa
E logo sorriu dizendo
Sei como resolver isso
Quer?
E sem esperar por resposta
Entrou na loja com toda a graça,
Comprou o tal doce,
E me convidou para sentar
Agora come eu e come voce
E ali, naquela mesma rua ,
Sentados em plena praça,
Dividimoso aquele bocado,
Debaixo da linda lua
E sorrindo nos apresentamos
Despedi-me com uma promessa,
No dia seguinte eu voltaria
Eu a convidaria
E Dividiriamos o doce,
Outra vez!
Outro doce, quer?
E ela concordou
Nunca mais senti falta de alguém
E dividir com ela foram muitas vezes
E eu a amei e ela me amou
E foram muitos doces
E foram muitas coisa...
Agora contamos isso para os netos
Guerreira Xue