quinta-feira, 19 de setembro de 2013

REALIDADES...

_ Vamos lá, levante esta cabeça, eu te ajudo cara!
_ Sério Rodrigo! Poxa meu, nem sei como agradecer, já até me sinto mais animado.
_ Claro! Vai lá e faz o tem que fazer, e deixe o resto comigo.
Rodrigo sabia que tinha que dizer qualquer coisa, para ajudar Horácio. Seu primo estava muito "por baixo" ultimamente.
Só um detalhe interessante nisso, o Rodrigo era um operário de fábrica e vivia sempre contando os trocos. Nunca conseguiu mais que o suficiente para o seu próprio sustento. Gostava da vida de trabalho, tinha uma saúde de ferro e não se queixava nunca. Já o Horácio seu primo, era antes um abastado, e no momento estava falido e precisando de seu apoio.
Estavam os dois no trabalho, e na mesma empresa, pois Rodrigo conseguiu "encaixa-lo" como operador de máquinas em treinamento. A pobreza os aproximara de tal maneira que viviam literalmente juntos agora. Quem não gostou muito disso foi Claudia, a mulher do Rodrigo.

_Por que ele tem que morar conosco?
_Porque ele está na pior, e além de ter "quebrado", a mulher lhe raspou o resto que tinha na conta, e sumiu com os filhos no mundo.
Sem qualquer pena Claudia retruca:
_Bem feito, ninguém manda estes riquinhos se casarem com estas interesseiras.
Rodrigo dá uma sonora risada...
_Mas quando se casaram, ela que era bem de vida e Rodrigo recém começando meu bem.
E Claudia continua...
_Lembro-me bem que nunca nos convidaram para a sua bela casa, ou casamento, ou qualquer daquelas suntuosas festas...
Está bem querida e nós também não os convidávamos para nada, lembra?
_Não convidávamos mais, voce quer dizer. Davam tantas desculpas esfarrapadas para não virem, que desistimos. Disse Claudia aborrecida.
_ É só até ele se aprumar querida, por favor. O coitado está ferrado, e só chora de saudades dos filhos.
Claudia sabia que ia ceder, tinha que ceder, mas ainda estava irritada por ter que receber um estranho em casa.
_Tudo bem, vamos recebê-lo em casa então. Arrumo uma cama extra para ele no quarto do Mário.
E assim foi...

Neste dia o Horácio ia prestar uma prova para promoção de liderança e estava muito nervoso e ainda não tinha feito sua  tarefa diária, quando Rodrigo disse-lhe que fosse, para a tal prova, e que ele faria o restante do trabalho em seu lugar.
Dias depois, ele recebeu sua promoção e estava muito contente.
Claudia ficou cismada com isso:
_O cara entrou outro dia na empresa, e já está ganhando mais que voce Rodrigo!  Juro que não entendo.
_Como não entende? Ele é de outra função e tem estudo, e é esforçado, portanto ele merece a promoção.
Claudia ficava pensando... "O diabo é que este sujeito tem sorte, isso sim. Quando era rico não ligava para as pessoas, e agora pobre, é justamente as pessoas que o levanta. Vai ter sorte assim na casa do cacete!"
E Rodrigo continuava...
_ Pense meu bem, se ele se aprumar financeiramente, tem como sustentar-se e vai morar sozinho. Entende?
Sim, a Claudia entendia.
Foram dois longos anos morando juntos, e não é que danado do Horácio conseguiu se equilibrar financeiramente! Recuperou a auto-estima, a guarda dos filhos e até a esposa fujona retornou!

Hoje quase dez anos passados, o Rodrigo e a esposa separaram-se, pois Claudia não aguentava a vida simples que levava...
Mesmo Rodrigo sendo homem simples, gostava de pintar quadros e surpreendentemente acabou por se tornar um artista de certa importancia.
O Horácio e a família voltaram ao círculo dos abastados, e o passado de pobreza "graças a Deus" esquecido...
E quando fazem suas festas espetaculares, não convidavam ninguém que não seja "interessante".
As pessoas mudam...  Não... As realidades mudam... Quem é que sabe? Sei lá!

Guerreira Xue/Hilda Milk


                                     Imagem Net