quinta-feira, 12 de setembro de 2013

DIAS DE GUERREIRA

DIAS DE GUERREIRA        
                                                       
Nem todos os dias posso falar de amor,
Por vezes e com frequência,
O que aparece é pura dor.
Há dias de vivencia leve
Como voltasse a adolescência
Mas tudo é muito breve
Tenho mais dias de escuridão
E a vida branca de neve
Suja igual barro.
Dias vivo no negro carvão
Sou arrastada pela tempestade
Luto para sobreviver...
Na fome de amor e pão
Cansei de fugir
Vou enfrentar a obscuridade
Perdi o medo?
Não...
Mas não vou me esquivar,
Ou me esconder da crueldade
Ou da guerra.
Tampouco me acostumar
É chegado o momento de saber
Quem sou eu na terra
De que sou feita
O que trago ao peito
O que quero para os meus
Posso caminhar para um fim?
Ter alguma esperança
Deixar um legado
Ou continuar do mesmo jeito.
Temos que escolher quem ser
Ou este monstro chamado miséria humana
Vai nos consumindo a todos.
Enfim começo a entender o significado
Sou Guerreira e vou desbravando caminhos
Ainda tendo o que viver.
Guerreira Xue
                                                                                            Imagem Net