terça-feira, 10 de setembro de 2013

FERREIRA GULLAR

FERREIRA GULLAR
"A história humana não se desenrola apenas nos campos de batalhas e nos gabinetes presidenciais. Ela se desenrola também nos quintais, entre plantas e galinhas, nas ruas de subúrbios, nas casas de jogos, nos prostíbulos, nos colégios, nas usinas, nos namoros de esquinas. Disso eu quis fazer a minha poesia. Dessa matéria humilde e humilhada, dessa vida obscura e injustiçada, porque o canto não pode ser uma traição à vida, e só é justo cantar se o nosso canto arrasta consigo as pessoas e as coisas que não tem voz."
- Ferreira Gullar, em artigo "Corpo a corpo com a linguagem", publicado em 1999.


Hoje FERREIRA GULLAR faz 83 anos e nós é que ficamos felizes de te-lo ainda em nosso convívio. Um grande e sonoro feliz aniversário e tudo de bom que a vida possa lhe proporcionar.

No ombro do planeta
(em Caracas)
Oscar depositou
para sempre
uma ave uma flor
(ele não fez de pedra
nossas casas:
faz de asa).

No coração de Argel sofrida
fez aterrissar uma tarde
uma nave estelar
e linda
como ainda há de ser a vida.

(com seu traço futuro
Oscar nos ensina
que o sonho é popular).

Nos ensina a sonhar
mesmo se lidamos
com a matéria dura:
o ferro o cimento a fome
de humana arquitetura.

Nos ensina a viver
no que ele transfigura:
no açúcar da pedra
no sonho do ovo
na argila da aurora
na pluma da neve
na alvura do ovo.
-Oscar nos ensina
que a beleza é leve.
Ferreira Gullar


                        Ferreira Gullar - Foto: Leticia Moreira/Folhapress

"Eu não quero ter razão, eu quero é ser feliz."
- Ferreira Gullar


"Durante boa parte da vida achei que o poeta, o artista, tinha de mudar a consciência das pessoas e fazer da sua obra um instrumento dessa mudança. Hoje acho que, antes de fazer arte com esta ou aquela finalidade, você tem que fazer arte de fato."
- Ferreira Gullar

Setembro/10/2013